Qual a relação entre sono e stress?

Sono e Stress

O stress

Sabemos que o stress seja por eventos positivos ou negativos para nós, funciona como um medidor de nosso equilíbrio.

Imagine um elástico, ele estica e relaxa seu tecido. Assim funciona o stress em nossas vidas, ou seja, necessitamos desse movimento de tensão e relaxamento para manter nossa homeostase.

Durante o stress produzimos substâncias que auxiliam nosso corpo e mente a vivenciar os eventos externos.

No entanto, um elástico que permanecer constantemente esticado, uma hora pode romper. Da mesma maneira funciona o corpo humano – a homeostase – sinônimo do equilíbrio fisiológico pode ser comprometida devido ao excesso de produção de determinadas substâncias que se tornarão prejudiciais ao organismo, nesse caso.

 

A relação sono x stress

Pesquisadores explicam que a fadiga é um dos sinais que indicam que a pessoa está sob um estado de tensão prolongada. Esse estado é refletido em diversos sistemas, podendo causar distúrbios no corpo, no psíquico e no entorno da pessoa como comprometer a qualidade do trabalho, das relações familiares e sociais.

Nas investigações científicas, conforme explica Inocente e Reimão (2001), as perturbações do sono são um dos sintomas que acometem indivíduos com queixa de fadiga. Nesses casos existem os seguintes sinais:

  • Cansaço matinal;
  • Desânimo;
  • Humor irritadiço;
  • Vários despertares noturnos;
  • Falta de aprofundamento do sono.

Como prevenir

Já sabemos que tudo que fizermos durante o período de vigília repercutirá no sono noturno. Então:

  • Procure não superlotar a agenda de compromissos;
  • Comece e termine o dia com uma atividade prazerosa e que não precise de muito tempo nem alto custo: a leitura de um livro, uma meditação, uma xícara de seu chá preferido, uma boa conversa, audição de sua música preferida, entre outras;
  • Mantenha o hábito de cultivar técnicas de relaxamento, hoje você pode encontrar vários tipos na internet: escolha uma que combine com você e seu estilo de vida, pratique;
  • Adote uma atividade física como hábito, mesmo que seja uma caminhada de 20 minutos todos os dias;
  • Mantenha uma dieta equilibrada e ao perceber que não está conseguindo, procure a orientação de um especialista para ajudar você;
  • Procure observar suas reações com relação aos eventos externos. É uma prática que auxilia a renovação do comportamento, promovendo um ajuste fino de atitudes em relação ao ambiente, com o objetivo de promover bem-estar;
  • Evite estimulantes e exercícios físicos quatro horas antes do horário de dormir;
  • Mantenha seu interesse em algo novo. A busca por um aprendizado novo, um projeto, entre outras ações, são estimulantes que mantêm a pessoa disposta, proativa e comprometida com algo prazeroso. Em consequência, o corpo produz substâncias relacionadas ao bem-estar físico, psíquico e emocional.

Uma dica interessante do Feldenkrais – consiste em deitar-se com as duas mãos entrelaçadas sob a cabeça e deixar todo o peso do crânio cair sobre as mãos durante alguns minutos, depois retire as mesmas e lentamente vire a cabeça de um lado para o outro. Deite-se no travesseiro e sinta a diferença.

O objetivo dessa pesquisa corporal é o de enviar uma nova informação ao sistema nervoso. A maioria das pessoas deita, mas não solta o peso da cabeça no travesseiro, uma das origens das tensões cervicais e nos ombros. É como se tentássemos segurar nosso crânio com a musculatura.

Com esse exercício, a cabeça relaxa e todo o peso dela fica solto sobre o travesseiro, proporcionando um sono mais relaxado.

Cuide do seu dia, para que suas noites sejam de sono bom!

Saudações,

Rosana Rocha