BELEZA QUE TOCA

Rosa

BELEZA QUE TOCA

Onde está a real Beleza que encanta e por onde passa deixa sua agradável fragrância? “A beleza do ser na forma de virtudes pode ser sempre estável” Essa frase é de Ken O´Donnell, que explica que as virtudes são inatas e suavizam nosso “caminhar” trazendo conforto. Para Church (2012), nossa personalidade dá o tom da beleza, é nossa identidade: como somos. Para a autora, ao externarmos as virtudes tocamos o cerne do Planeta.

O trabalho para aumentar essa Beleza e estabelecer harmonia nas relações requer silêncio. Beleza remete à perfeição que tem numa moeda os dois valores: silêncio e virtude. Essa moeda somos nós.

O silêncio nos protege da dispersão (que nos afasta de nossa origem, nosso poder). Aceitar-se e investir nas virtudes, nos liberta pouco a pouco do apego nos papéis que desempenhamos ao longo da vida e dos padrões que o externo exige.

Construa um espaço de calma e pureza dentro de você. Imagine essa visão com todos os detalhes atemporais… Frequente-o sempre para se refrescar e sentir-se acolhido por você. Essa prática aumenta nossa habilidade para compartilhar virtudes.

Treine suas virtudes com os mais próximos, porque esse exercício embutirá uma disciplina e naturalmente a sua Beleza Interior expandirá. Virtude refletida… é nossa Beleza Tocando o Mundo.

  Fonte CHURCH, Anthea. Beleza Interior, O Livro das Virtudes. 11ª edição. São Paulo: Brahma Kumaris, 2012. 118p.

Por Rosana Rocha – editora