Vamos conversar sobre a relação entre o sono e a música


Slide1

Slide1

Um pouco de história

Desde os primeiros passos do homem na era primitiva, o som foi uma das observações mais significativas que ele vivenciou. Inicialmente os trovões, a chuva, os galhos quebradiços sob os pés, o fogo para depois o primata amarrar pedras e ossos em galhos e usar a pele de animais esticada para produzir seus próprios sons e tentar imitar os da natureza.

Os ossos se tornaram apitos e assim, a sonoridade foi aos poucos incorporada na comunicação humana.

Conforme a cultura e a época, a música representava ora estados de espírito, ora a crença religiosa, ora a tradição, ora a política e assim por diante…

A música

O acalanto pode ser citado como um exemplo clássico de canção por conter conteúdos psíquicos que através da letra, melodia e significados, trabalham na criança os alertas, de forma lúdica – na hora de adormecer – sobre a luta entre o bem e o mal. O lobo mau- pode ser o estranho que um dia poderá abordar uma criança. A bruxa malvada pode representar pessoas que fazem o mal e não têm remorso. O cravo e a rosa explicam que violência só tende a ferir os dois lados, então não é o melhor caminho.

Da mesma forma que a música carrega em si arquétipos universais, os sonhos também são repletos deles e ambos auxiliam os seres humanos a buscarem o equilíbrio psíquico para atuarem com segurança em suas vidas de relação durante a vigília.

Nossa querida Dra. Therezinha Moreira Leite, pioneira no estudo e relação sono e sonho no Brasil, também investiga a relação música e sonhos. A pesquisadora cita Ullman para falar sobre a continuidade entre sonho e vigília e sua função de sobrevivência na vida do ser humano.

Observe a relação

Ao se apanhar cantarolando uma música, comece a observar que conteúdos ela traz até você e qual sua relação com eles: pode ser a letra que contém uma mensagem, a melodia que remete a alguma memória do passado, o timbre do intérprete pode conter conteúdos com significado afetivo para você, enfim.

Ao observar esses aspectos, poderá identificar sem muito esforço, algo em comum na música com o seu momento presente, seja pessoal ou coletivo, seus conteúdos internos como pensamentos e emoções ou simplesmente o ritmo que pode estar conectado com seu ritmo e andamento interno naquele determinado momento.

Você já acordou com uma música no pensamento ou simplesmente cantarolando a mesma? A partir de agora, comece a observar o que ela pode significar para você. Mas, um alerta, não tente se aprofundar em conteúdos psíquicos sem a ajuda de um profissional.

Por que será que quando estamos de férias no campo ou na praia, gostamos de ouvir o canto dos pássaros ou o som do mar? Dormimos melhor também, não é? Ouvir os sons da natureza resgata a lembrança de que somos parte dela e cria uma conexão que não conseguimos nos centros urbanos por causa dos ruídos constantes. Tente trazer os sons da natureza para sua casa, isso pode beneficiar a sua saúde em geral.

São apenas dicas para guiar você de forma a se conhecer melhor, através de observações simples!

Hinos convocam a coragem e confiança dos soldados, bem como seu comprometimento com a causa. Canções de ninar fazem as crianças adormecerem. Músicas ternárias propõem movimentos de expansão como a valsa, convidando o corpo a se mexer.

Comece a observar se ao adormecer você tem recordação de alguma música e também ao despertar pela manhã. Assim como os sonhos, a música pode trazer alguma mensagem que poderá contribuir para sua elaboração psíquica, emocional e social.

Dicas de relaxamento

Caso opte por ouvir música para adormecer, escolha um conteúdo que relaxe seu corpo e mente. Cada pessoa deve encontrar seu estilo de música preferido e investir nisso.

Na hipótese de utilizar fones de ouvido, escolha material confortável e de qualidade para não machucar as orelhas e não abuse do volume. Muitas pessoas adormecem com fones de ouvido. Para esses casos, recomendo a utilização de uma fonte sonora que não entre em contato com o corpo.

Opções que complementam o relaxamento com música incluem escalda-pés após um dia exaustivo, ou depois de uma cefaleia tensional com 10 gotas de óleo essencial de lavanda na água.

Outra dica é pingar o óleo de lavanda: uma gota em cada canto do travesseiro, principalmente para pessoas que dormem de lado.

Uma gota de óleo de jasmim no pulso antes de dormir também pode ser eficaz para uma noite de sono tranquilo.

Alguns cuidados

Caso acorde com a memória de uma música anote em seu caderno de sonhos, isso poderá ter algum significado para você.

Abuse do silêncio. Em uma sociedade ruidosa e visual como a nossa, o silêncio pode ser uma ferramenta muito útil no combate ao stress. A música só é possível por causa das pausas, assim também somos nós. Uma mente ruidosa não poderá ter sono tranquilo.

A pessoa que tem o hábito de dirigir sempre ouvindo rádio, vez ou outra, será necessário desligar e ouvir a canção de seu cérebro e mente. O equilíbrio é a chave do sucesso, aplique-o em todas as áreas de sua vida!

Quando estiver em um supermercado ou loja para comprar seus produtos preferidos, mas o som da loja não o agradar, saia e volte outra hora. Essa ação evitará que compre qualquer coisa para se livrar logo do incômodo e aborrecimentos futuros.

Evite ficar tempo demasiado com o fone de ouvido durante o dia para evitar acidentes, erros no trabalho, e alienação do convívio com os outros. Uma boa noite de sono, também depende da nossa relação com o meio.

O tipo de música, a forma de ouvir, entre outros fatores, influencia a qualidade do seu sono e o conteúdo de seus sonhos. Faça escolhas direcionadas ao seu bem-estar!

Ouça o silêncio, os sons, a música e durma bem!

Saudações,

Rosana Rocha

 

 

 

 

 

 

Qual a relação entre sono e stress?


Sono e Stress

Sono e Stress

O stress

Sabemos que o stress seja por eventos positivos ou negativos para nós, funciona como um medidor de nosso equilíbrio.

Imagine um elástico, ele estica e relaxa seu tecido. Assim funciona o stress em nossas vidas, ou seja, necessitamos desse movimento de tensão e relaxamento para manter nossa homeostase.

Durante o stress produzimos substâncias que auxiliam nosso corpo e mente a vivenciar os eventos externos.

No entanto, um elástico que permanecer constantemente esticado, uma hora pode romper. Da mesma maneira funciona o corpo humano – a homeostase – sinônimo do equilíbrio fisiológico pode ser comprometida devido ao excesso de produção de determinadas substâncias que se tornarão prejudiciais ao organismo, nesse caso.

 

A relação sono x stress

Pesquisadores explicam que a fadiga é um dos sinais que indicam que a pessoa está sob um estado de tensão prolongada. Esse estado é refletido em diversos sistemas, podendo causar distúrbios no corpo, no psíquico e no entorno da pessoa como comprometer a qualidade do trabalho, das relações familiares e sociais.

Nas investigações científicas, conforme explica Inocente e Reimão (2001), as perturbações do sono são um dos sintomas que acometem indivíduos com queixa de fadiga. Nesses casos existem os seguintes sinais:

  • Cansaço matinal;
  • Desânimo;
  • Humor irritadiço;
  • Vários despertares noturnos;
  • Falta de aprofundamento do sono.

Como prevenir

Já sabemos que tudo que fizermos durante o período de vigília repercutirá no sono noturno. Então:

  • Procure não superlotar a agenda de compromissos;
  • Comece e termine o dia com uma atividade prazerosa e que não precise de muito tempo nem alto custo: a leitura de um livro, uma meditação, uma xícara de seu chá preferido, uma boa conversa, audição de sua música preferida, entre outras;
  • Mantenha o hábito de cultivar técnicas de relaxamento, hoje você pode encontrar vários tipos na internet: escolha uma que combine com você e seu estilo de vida, pratique;
  • Adote uma atividade física como hábito, mesmo que seja uma caminhada de 20 minutos todos os dias;
  • Mantenha uma dieta equilibrada e ao perceber que não está conseguindo, procure a orientação de um especialista para ajudar você;
  • Procure observar suas reações com relação aos eventos externos. É uma prática que auxilia a renovação do comportamento, promovendo um ajuste fino de atitudes em relação ao ambiente, com o objetivo de promover bem-estar;
  • Evite estimulantes e exercícios físicos quatro horas antes do horário de dormir;
  • Mantenha seu interesse em algo novo. A busca por um aprendizado novo, um projeto, entre outras ações, são estimulantes que mantêm a pessoa disposta, proativa e comprometida com algo prazeroso. Em consequência, o corpo produz substâncias relacionadas ao bem-estar físico, psíquico e emocional.

Uma dica interessante do Feldenkrais – consiste em deitar-se com as duas mãos entrelaçadas sob a cabeça e deixar todo o peso do crânio cair sobre as mãos durante alguns minutos, depois retire as mesmas e lentamente vire a cabeça de um lado para o outro. Deite-se no travesseiro e sinta a diferença.

O objetivo dessa pesquisa corporal é o de enviar uma nova informação ao sistema nervoso. A maioria das pessoas deita, mas não solta o peso da cabeça no travesseiro, uma das origens das tensões cervicais e nos ombros. É como se tentássemos segurar nosso crânio com a musculatura.

Com esse exercício, a cabeça relaxa e todo o peso dela fica solto sobre o travesseiro, proporcionando um sono mais relaxado.

Cuide do seu dia, para que suas noites sejam de sono bom!

Saudações,

Rosana Rocha

Dormir mal pode causar doenças


O bom sono é um sonho possível

O bom sono é um sonho possível

                Sono e o Sistema Imunológico

 

Atualmente existem várias doenças do sono subordinadas a uma classificação internacional que passa por revisões periódicas.

A sociedade e cultura atuais exigem uma condição permanente de adaptação constante frente aos inúmeros estímulos, gerando seres humanos cada vez mais estressados. O estresse compromete a qualidade do sono e ataca o sistema imunológico.

Outros fatores que diminuem a qualidade do sono:

  1. Questões dos grandes centros urbanos: poluição visual, sonora e ambiental, trânsito complicado, horários a cumprir em curto espaço de tempo, etc.,
  2. Alimentação desequilibrada como consumo de bebidas alcoólicas, cafeína e chás estimulantes em grande quantidade consumidos após as 16 horas, alimentos gordurosos, etc.,
  3. Hábitos de fast-food e obesidade;
  4. Uso indiscriminado de medicamentos para dormir, entre outros.

 

O quarto estágio do sono é onde ocorrem os reparos, preparando o corpo para o novo dia. Quando não ocorre essa fase de sono profundo devido a causas variadas, o sistema imunológico entra em alerta. O nível de ativação imunológica está ligado à saúde do indivíduo, ou seja, o nível baixo representa uma pessoa com menor sonolência e boa disposição.

Quando ocorre o sono reparador, o sistema imunológico não produz citocinas que afetam os estágios e a qualidade do sono; desta forma um sono de boa qualidade permitirá melhor funcionamento do sistema de defesa do organismo, realizando reparos e manutenção do corpo.

Então, cuide do físico, do psíquico e do emocional através de atividades prazerosas, alimentação leve nas horas que antecedem o sono, use o quarto somente para dormir evitando utilizar computador e assistir TV nesse ambiente. Esses cuidados fazem parte da higiene do sono – grupo de medidas que favorecem noites de sono reparador.

Durma bem e tenha boa saúde!

Saudações,

Rosana Rocha

 

 

 

Você sabia que existem medidas que ajudam a melhorar seu sono?


SONO

“O bom sono é um sonho possível”

A maior parte dos distúrbios do sono são possíveis de evitar ou tratar, no entanto, poucas pessoas procuram a orientação de um especialista por desconhecer que agora o sono é uma especialidade da medicina.

Nos slides abaixo, você vai conhecer um pouco da história sobre quando os pesquisadores realizaram as primeiras descobertas sobre a fisiologia do sono, sua classificação, tipos de dormidores, seus efeitos, como é organizado, sobre a insônia e a higiene do sono.

Higiene do Sono – trata de um conjunto de medidas que auxiliam o indivíduo a ter um sono de qualidade e reparador.

Clique no link abaixo para assistir!

Saudações,

Rosana Rocha

Semana do Sono


INSÔNIA

DIA INTERNACIONAL DO SONO

Então, se você é uma pessoa que demora a “pegar” no sono após deitar, ou fica horas vigiando a noite acordado como uma vela acesa, ou ainda vive outras situações noturnas que o impedem de dormir, fique atento às nossas postagens dessa semana para comemorar o Dia Internacional do Sono, que em 2016 será dia 18 de março!

O tema do ano passado foi:

“Open your eyes to sleep”

“Abra seus olhos para o sono”

E em 2016 o tema é:

“Um bom sono é um sonho possível”

Tenho certeza que se você dorme bem, ou acha que dorme, conhece um vizinho, um parente, um amigo que tem alguma dificuldade com relação à boa qualidade do sono.

Sou pesquisadora colaboradora do Grupo de Pesquisa Avançada em Medicina do Sono do Departamento de Neurologia da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo, sob a orientação do Dr. Rubens Reimão, e, durante essa semana vou trazer alguns tópicos que vale muito a pena conhecer sobre o Sono.

O primeiro é sobre o Dia Internacional do Sono.

O evento idealizado pela International Foundation for Medical Health and Neuroscience (Fundação Internacional para a Saúde Mental e Ciências Neurológicas) tem a missão de conscientizar os indivíduos para a necessidade do sono em nossas vidas bem como as repercussões na saúde de qualquer distúrbio nessa área.

Esse dia é comemorado anualmente no dia 1 da primavera no hemisfério norte, outono no hemisfério sul.

Investigações pregressas apontaram a urgência em diagnosticar e tratar os distúrbios do sono, devido ao alto risco para a saúde, assim instituiu-se a Medicina do Sono – área da medicina especializada em investigar o mecanismo do sono, diagnosticar e tratar possíveis alterações.

Alguns comportamentos diurnos podem trazer indícios de problemas com o sono:

  1. A pessoa acorda quase todo dia com sensação de cansaço;
  2. O indivíduo fica sonolento quando dirige longas distâncias;
  3. Dorme durante atividades recreativas como TV ou leitura;
  4. Existência de cochilos no expediente de trabalho;
  5. Tende a estender o tempo total de sono nos finais de semana e feriados.

Caso você se identifique com alguns desses comportamentos, a qualidade do seu sono pode estar comprometida e será recomendável procurar um clínico geral para que o mesmo avalie a necessidade de indicação de um especialista da medicina do sono para investigar a saúde do seu sono.

Abra seus olhos para o sono e durma feliz!

Saudações,

Rosana Rocha